Em razão do avanço da Covid-19, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) disponibiliza, desde essa segunda-feira (16), três linhas de crédito com condições especiais para empresas pertencentes ao setor de Saúde no Estado. Serão oferecidos recursos para capital de giro e investimentos para compra de matéria-prima para fabricação de produtos de alta demanda (máscaras, álcool em gel, lenços etc), reforço de estoques, preparação de leitos, contratação de mão de obra, entre outros.

Para as micro e pequenas empresas (MPEs), com faturamento até R$ 4,8 milhões, será disponibilizada a linha BDMG Solidário Saúde, com juros prefixados a partir de 0,83% ao mês, prazo de pagamento de até 48 meses e até seis meses de carência. Para empresas com faturamento anual entre R$ 4,8 milhões e R$ 30 milhões, a linha é a Giro Mais Saúde, com taxas a partir de 0,83% ao mês indexadas à Selic, prazo de até 60 meses e carência de até seis meses.

Já para as médias e grandes, com faturamento anual acima de R$ 30 milhões (laboratórios, indústrias, grandes hospitais e outras empresas), foi criada a linha BDMG Saúde, com taxas de juros diferenciadas (variando para cada tipo de cliente), prazo de até 60 meses e carência de 18 meses.

“Temos, ao todo, 36 mil empresas atuando no setor de Saúde em Minas. Em um momento desafiador como este, o BDMG atua com agilidade e flexibilidade para oferecer crédito em condições ainda mais acessíveis para que o setor possa se estruturar diante do desafio representado pela Covid-19”, afirma Sergio Gusmão, presidente do BDMG.

O BDMG também estuda uma linha de crédito para empresas de qualquer setor em cidades criticamente afetadas pela Covid-19, mediante critérios a serem definidos pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG). O banco ainda está aberto a renegociar as dívidas de micro e pequenas empresas e prefeituras de municípios criticamente afetados pelo coronavírus.

Leia mais:
BH tem 1º caso de Covid-19; escolas e espaços culturais fecham e governador se isola
Precaução ou exagero? Com medo do coronavírus, já tem consumidor em BH enchendo a despensa
Inhotim, CCBB, Palácio das Artes: museus e galerias fecham visitação e adiam espetáculos