A Câmara de Vereadores de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, aprovou nessa terça-feira (8) o título de cidadão honorário ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). A homenagem segue agora para o Executivo e aguarda sanção. 

A votação terminou com 14 votos favoráveis e dois contrários. Os  autores do projeto são os vereadores Sheila Oliveira e Charlles Evangelista, ambos do PSL.

Segundo o site da Câmara, na justificativa anexada à proposição, os vereadores Charlles e Sheila, que são do partido do presidente, chegaram a lembrar que Bolsonaro foi vítima de um atentado em ato de campanha realizado em Juiz de Fora, durante o último processo eleitoral, em que acabou eleito.

“Em 6 de setembro de 2018, enquanto fazia campanha e era carregado nos ombros no Calçadão da Rua Halfeld, Jair Bolsonaro sofreu um atentado, levando uma facada que o deixou entre a vida e a morte. Foi salvo pela Providência Divina e pela presteza e eficiência do atendimento dos profissionais da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora”, afirmaram os autores do projeto de lei.

Agora, o prefeito Antônio Almas (PSDB) tem 30 dias para sancionar ou vetar o projeto. 

No 2º turno das eleições em Juiz de Fora, Bolsonaro teve 145.333 votos (52,36%) contra 132.237 (47,64%) de Fernando Haddad, do PT.

Contrários à honraria

Nesta quarta-feira (9), após a aprovação do projeto, um abaixo-assinado foi lançado na internet em repúdio à concessão do título. A petição pública foi criada por um perfil intitulado “Reexiste JF”, na plataforma "change.org". Até às 21h45, 2.270 já tinham assinado o manifesto.