O vereador Léo Burguês (PSL) foi escolhido pelo prefeito Alexandre Kalil (PHS) como o novo líder do governo na Câmara Municipal de Belo Horizonte. A escolha se dá após mais de um mês da queda do primeiro líder (o vereador Gilson Reis (PCdoB), que ficou menos de um mês no cargo), e após semanas de especulações sobre os nomes para o posto.

Burguês vinha sendo cotado para assumir a posição e tinha como principal concorrente o vereador Juliano Lopes (PTC). Kalil bateu o martelo sobre a escolha na noite de ontem, após uma reunião com Burguês. Logo na sequência, o vereador já fez reuniões de trabalho com o vice-prefeito e secretário de Governo, Paulo Lamac (Rede), e a secretária de Comunicação Adriana Branco. 

Na manhã desta terça-feira (21), o vereador começou a se apresentar ao colegas, com econtros nos gabinetes, na Câmara.

"A primeira coisa que precisamos é montar a base do prefeito na Câmara. É importante frisar que não haverá nenhuma tipo de fisiologismo da prefeitura como os vereadores. Isso é coisa do passado. As urnas e a situação financeira do país deixaram isso claro. Esse é o grande desafio que temos com a Câmara", disse Burguês, no final da manhã de hoje.

De acordo com o vereador, com a base sendo construída, a principal prioridade da administração será a aprovação da reforma administrativa. "O preifeito disse que a reforma está praticamente pronta, deverá ser apresentada nos próximos dias e trará grande economia para o município. A cara da reforma será essa. Haverá um grande enxugamento dos cargos de confiança", disse Burguês.

Ainda segundo o vereador, a proposta do prefeito é construir uma relação de confiança com a Câmara, na qual os vereadores analisem e aprovem as propostas de politicas públicas do município, mas na qual Kalil também se dispõe a trabalhar pela realização de projetos que os parlamentares detectam como necessários em suas bases e áreas de atuação.

Ele evitou reforçar as críticas de colegas a Lamac, que vem sendo bombadeado pelos vereadores devido a indicações feitas para postos na administração. "O Paulo Lamac é um grande secretário", disse. No entanto, emendou: "Mas a minha interlocução direta é com o Kalil, que também seguirá tendo uma interlocução direta com todos os vereadores".

Pesou a favor de Leo Burguês, vereador no terceiro mandato, os fatos de ser conhecido pelo domínio do regimento interno da Casa, da qual foi presidente por quatro anos (2011-2012 e 2013-2014), e ter mantido boa relação com o prefeito, mesmo nos períodos mais conturbados das últimas semanas.

Na tentativa de ampliar o esforço para construção da base, Elvis Côrtes (PSD) e Álvaro Damião (PSB) serão os vice-líderes do prefeito Kalil.