Um grupo suspeito de sonegar ao menos R$ 50 milhões dos cofres públicos foi desarticulado pelo Ministério Público de Minas nesta quinta-feira (1º). Conforme o órgão, o alvo da operação "Pet-Scan" foi uma empresa de alimentos para animais localizada em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo as investigações, a empresa foi criada em 2009 e encerrou as atividades anos depois deixando um passivo tributário superior a R$ 30 milhões. De acordo com o MP, há fortes suspeitas de venda de mercadorias sem nota-fiscal, subfaturamento e emissão de documentos fiscais fraudulentos. Estima-se que a sonegação atual supere os R$ 50 milhões.

Para fechar o cerco ao grupo, o MP juntamente com a Polícia Civil e a Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) cumpriram nove mandados de busca e apreensão, envolvendo quatro pessoas jurídicas e cinco pessoas físicas, nas cidades de Belo Horizonte, Santa Luzia, Lagoa Santa e no Rio de Janeiro.

Participam da operação dois promotores de Justiça, um delegado, 30 agentes da Polícia Civil e 26 servidores fazendários.