O suspeito detido sob a acusação de que decapitou seu chefe em um ataque a uma fábrica na França se suicidou na prisão, afirmou a promotoria do país nesta quarta-feira. O suspeito Yassin Salhi, que era mantido em uma solitária em uma prisão nas proximidades de Paris, foi encontrado enforcado às 21h15 (hora local) da terça-feira, disse um porta-voz da promotoria no subúrbio parisiende de Evry.

Em julho, Salhi, que trabalhava para uma transportadora, tentou explodir uma fábrica de gás em Saint-Quentin Fallavier, um subúrbio de Lyon. O chefe dele foi encontrado decapitado, em um ataque que ecoou a violência usada por militantes na Síria. A cabeça da vítima foi colocada em uma cerca, com um par de bandeiras com referências ao islamismo.

Ao ser questionado, Salhi confessou que matou o chefe em um estacionamento, mas afirmou que agiu por motivação pessoal, não por terrorismo, segundo promotores e seu advogado à época.

Fonte: Dow Jones Newswires.