O deputado estadual Alencar da Silveira Júnior (PDT) usou o plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais para afirmar que a presidente Dilma Rousseff (PT) "deve estar sentada na mandioca".

Na frase pronunciada na terça-feira (17), o deputado diz-se indignado com as besteiras que ela (Dilma) está falando. "Não tem jeito: quem representa esse Brasil representa a cada um dos senhores e das senhoras. Como é que ela tá (sic) falando isso aí. Falando de mandioca... Mandioca ela deve tá (sic) sentando em cima dela pra falar qualquer dia".

O parlamentar referia-se a um discurso de Dilma Rousseff, em junho último, quando em cerimônia com índios, a presidente saudou a mandioca.

"Nenhuma civilização nasceu sem ter acesso a uma forma básica de alimentação e aqui nós só temos uma, como também os índios e os indígenas americanos têm a deles. Temos a mandioca e aqui nós estamos e, certamente, nós teremos uma série de outros produtos que foram essenciais para o desenvolvimento de toda a civilização humana ao longo dos séculos. Então, aqui, hoje, eu tô saudando a mandioca, uma das maiores conquistas do Brasil", disse Dilma na ocasião.
 

 

 

Na mesma ocasião, o parlamentar questionou a sanidade da presidente afirmando que Dilma está "bombada" e faz uso de calmantes. "Essa mulher tá (sic) falando tanta besteira porque ela tá bombada. Nós temos uma presidenta da república, vamos deixar bem claro isso, pra falar as besteiras que ela tá falando ela tá com um calmante atrás do outro (...) Como eu quero uma representante minha com Lexotan, Diazepan, e esses remédio todo aí o dia inteiro?"

O líder da situação na Assembleia, Rogério Correia (PT) afirma que vai questionar o Alencar na quinta-feira (19). Caso o parlamentar não se retrate, o petista pretende entrar com uma ação por quebra de decoro parlamentar na Comissão de Ética da Casa.

 

 

"O problema da mandioca é dela, não é meu"


Você se arrepende das frases ditas sobre a presidente em plenário da ALMG?

Eu acho que ela está tomando remédio, ela está tomando sim. Ela tem tomado sim. Uma pessoa em sã consciência não estaria falando o que ela diz. Uma pessoa culta, esclarecida, que chega à presidência, em estado normal não estaria falando o que ela está falando. Que ela passou por problemas de saúde a gente sabe. Os remédios estão afetando a consciência dela. Tenho certez que meu eleitor está fazendo a mesma pergunta, falei o que todos os brasileiros têm vontade de falar.

 
As frases não carregaram tom pejorativo na sua opinião?

Não tem nada de pejorativo. Só falei que ela está tomando remédio, ela só pode estar tomando Gardenal, Lexotan...

 
E sobre a mandioca?

A mandioca pode ter sido uma colocação errada. Em hora nenhuma quis ofender o ato sexual dela com a mandioca. O termo pode ter sido colocado. Coloquei a palavra errada. Minha intenção é saber porque está usando tanto o termo mandioca. QUem está falando de mandioca e caiu nas redes sociais foi ela.
 

Então, você se arrepende da menção à mandioca?

Não tenho como me arrepender, tenho 28 anos de vida pública, não tem como me arrepender. Quando usei a tribuna, fiz um questionamento que todo o Brasil queria. O problema da mandioca é dela, não é meu.

 
A bancada da situação ameaça entrar com ação de quebra de decoro parlamentar.

Acho que a ALMG é muito madura pra mover uma ação por causa da mandioca da presidente. Amanhã (quinta-feira, 19) se precisar, se levar para esse lado, de termo pejorativo, serei o primeiro a dizer que não. Lembrei da mandioca por causa dela. No final (da reportagem) pode colocar que Alencar pode até se desculpar oficialmente por causa da mandioca da presidente.
 

O deputado Rogério Correia (PT) disse que falas como a sua motivam atitudes exaltadas de eleitores...

Eu não tenho nada com petista, não votei no PT, não voto no PT. Rogério tem que se preocupar mesmo com os eleitores que acreditaram nas mentiras da campanha eleitoral e se decepcionaram. ACho que independentemente disso, da minha fala, a pessoa tem o direito dela de se exaltar. Pelo o que faço na vida parlamentar, pela honestidade que sempre tive, nunca fui hostilizado. Chego a um campo de futebol, entro no meio do gramado e não tomo vaia. O que está acontecendo, quem plantou não fui eu. A situação está aí, não podemos chegar a tanto... minha fala não foi para chegar a tanto. Nunca falei isso do Lula, porque o Lula nunca chegou a ter atitudes que ela está tendo. E ele é do PT.