Garantir a melhor oferta de dados é a grande aposta da Vivo para se manter como dona da maior fatia do mercado brasileiro no setor de telefonia móvel. Integrada à GVT, a empresa está investindo R$ 15 milhões na implantação de uma rede de fibra ótica com ultra banda larga e TV em alta definição em Sete Lagoas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A estratégia vai na contramão da tendência do setor, em que gigantes como TIM e Oi estão reduzindo os custos de ligação para outras operadoras no intuito de ampliar a participação de mercado.

Para os executivos da Vivo, a tendência é que as demandas futuras sejam cada vez mais integradas, de forma que o consumidor busque em um único serviço a conexão banda larga de alta qualidade, junto com a TV, telefonia fixa e móvel.

Para o diretor da regional mineira da Vivo, Renato Gomes, o grande compromisso da empresa é garantir a máxima qualidade nos serviços disponibilizados, priorizando transparência na relação com os clientes.

“Prezamos por entregar fielmente o serviço contratado, para garantir custo-benefício e a percepção de valor por parte do cliente. Acreditamos muito mais no caminho da internet e apostamos em pacotes de dados cada vez melhores”.

Estratégias

Uma das razões para a escolha de Sete Lagoas para iniciar os investimentos no Estado é a sinergia da cidade com a capital. O município abriga grandes empresas do setor automotivo, como a Iveco, e tem um grande mercado consumidor do serviço.

"A escolha é estratégica pela proximidade da capital e perfil do consumidor que busca as melhores conexões em internet banda larga de ultravelocidades, TV por assinatura e telefonia fixa”, explica o diretor de Vendas Regional Sudeste para o segmento Fixo da Telefônica Vivo, José Carlos Rocha Junior.

A operação da empresa em Sete Lagoas atenderá 83% da área urbana da cidade e vai começar com pacotes que oferecem internet banda larga com 35 megabits por segundo (Mbps) pelo custo de R$ 214,70 mensais. Hoje, a média de banda larga na cidade é de aproximadamente 3 Mbps.