A tempestade tropical Erika se desfez no Caribe neste sábado (29), após deixar pelo menos 20 mortos durante sua passagem pela Dominica. Outras 50 pessoas estão desaparecidas no pequeno país insular. O primeiro-ministro dominicano, Roosevelt Skerrit, pediu ajuda internacional, dizendo que a destruição causada fez o país retroceder duas décadas.

A tempestade despejou quase 38 centímetros de chuva no país, causando enchentes e deslizamentos de terra, derrubando árvores e deixando milhares sem eletricidade. Estradas e centenas de casas foram destruídas. Entre os desaparecidos, 20 são da vila de Petite Savanne, no sudeste da ilha, que está entre as mais atingidas. "Não há esperança de encontrá-los", afirma o político local Lennox Linton. Dezenas de feridos ainda estão sendo transportados de helicóptero para hospitais na capital.

O principal aeroporto do país foi alagado e ficou fechado por várias horas. Com diversas pontes destruídas, muitos moradores pegaram balsas para as ilhas vizinhas de Martinica e Guadalupe para conseguir embarcar em voos para outros países.

A tempestade também fez vítimas no Haiti, embora tenha se enfraquecido ao se aproximar do país. Uma pessoa morreu em um deslizamento de terra na capital, Porto Príncipe, e outras quatro na cidade de Leogane, quando um caminhão bateu em um ônibus, em meio à chuva que caía. Em Porto Rico, mais de 200 mil ficaram sem energia e plantações foram destruídas, com um prejuízo estimado de US$ 16 milhões.

As chuvas provocados por Erika ainda devem atingir Cuba e os Estados Unidos neste domingo. O Centro de Furacões norte-americano prevê entre 7,6 e 12,7 centímetros de precipitações e o estado de emergência continua em vigor na Flórida. Fonte: Associated Press.