A saúde da enfermeira escocesa que luta contra o ebola piorou e o seu estado agora é crítico, informou neste sábado (3) o Royal Free Hospital, de Londres. "A condição de Pauline Cafferkey deteriorou-se gradualmente ao longo dos últimos dois dias", informou a instituição em breve comunicado.

A enfermeira foi a primeira pessoa a ser diagnosticada com a doença na Grã-Bretanha. Pauline foi internada na última segunda-feira, horas depois de retornar para sua casa em Glasgow, após trabalhar como voluntária em Serra Leoa, um dos países da África Ocidental mais afetados pela epidemia.

O vírus permanece sem cura, mas alguns pacientes estão sendo tratados com medicamentos experimentais ainda não aprovados. Uma das medicações experimentais, chamada Zmapp, cultivada em folhas de tabaco geneticamente modificadas, teve seu fornecimento esgotado.

Mais de mil médicos e enfermeiras britânicos trabalham como voluntários no combate ao ebola. Nesta semana, a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou que mais de 8 mil pessoas já morreram vítimas da epidemia da doença.