Ele domina a paisagem no alto da colina (chamada de Hradcany, ou Colina do Castelo, em tcheco), na margem esquerda do rio Vltava. O Castelo de Praga é magnífico. Não se pode deixar o país sem visitá-lo. E é bom reservar no mínimo uma tarde ou mesmo um dia inteiro para conhecê-lo.

Com 72,5 mil metros quadrados de área construída, o Castelo de Praga está no livro Guinness dos Recordes como o maior do mundo. Na verdade, o complexo (chamado em tcheco de Pražský hrad), fundado no século 9, é quase uma cidade, com uma série de construções que foram sendo acrescentadas e ampliadas ao longo dos seus mais de 1.000 anos de história.

Em 850 d.C., uma moradia para a família Premyslid foi construída no alto da colina, às margens do rio. Foi essa família que, pouco mais tarde, viria a fundar a dinastia real que durante séculos estaria à frente do castelo e da própria cidade de Praga.


São vito

Em 900 d.C., erigiu-se a igreja dedicada a S. Vito. Uma cidade já se formava na base da colina nos primeiros anos do século 10, e outras fortificações foram sendo acrescentadas.

A imensa basílica de São Vito, cujas torres dominam a paisagem e são vistas quase que de toda parte, só foi construída no século 14, com a pedra fundamental assentada pelo mais importante rei tcheco, Carlos IV.


Cidade velha

Foi ele quem fez a ligação entre a Colina do Castelo e a Staré Mesto (a Cidade Velha). A ponte Carlos é desse período e é um cartão-postal da cidade, com os santos e reis tchecos ornando-a. O filho de Carlos IV, Venceslau IV, fortificou ainda mais o castelo.

Em 1257, nasce um terceiro bairro na cidade: Malá Stranou (ou “Parte Pequena”).

E assim o castelo e a própria Praga cresceram, transformando-se em um dos mais belos e preservados conjuntos históricos do mundo. Caminhar por essas ruas, entre casarões e igrejas erguidos entre os séculos 10 e 15, é uma incrível viagem no tempo.