Punido pela FIA após ser julgado culpado pelo acidente na largada do GP da Bélgica, o francês Romain Grosjean não poderá participar da etapa de Cingapura, disputada no dia 23 deste mês. Após avaliar a penalização como "muito dura", o chefe da Lotus, Éric Boullier, afirmou acreditar que o piloto aprenderá com a falha.
 
"Conversamos muito a respeito e, de alguma forma, isso definitivamente foi o melhor para Grosjean. Ele vai manter a mesma velocidade quando voltar, mas acredito que estará mais forte e confiante em si mesmo. Depois de discutir e corrigir os problemas, terá melhorado", analisa Boullier.
 
Sem poder atuar, Grosjean dará lugar ao belga Jérôme Ambrosio, piloto reserva da Lotus. Modesto 13º colocado em Monza, primeira das duas provas em que o francês foi impedido de atuar, Ambrósio recebeu elogios do homem forte da Lotus.
 
"Acho que ele foi bastante sólido. Foi um pouco frustrante para ele, porque o resultado não demonstrou isso, mas, se você olhar para os dados, ele evoluiu bastante em todo o fim de semana", exalta Boullier, que apontou o motivo para o resultado de seu piloto reserva no circuito italiano.
 
"Ele perdeu o Kers no começo da corrida e isso lhe custou muito tempo. Em termos de ritmo, ele estava na tocada de muitos dos competidores do pelotão da frente e, levando em conta que ele não corria há dez meses, foi um trabalho bastante impressionante", analisa.