O companheiro nas próximas temporadas do espanhol Fernando Alonso, na Ferrari, voltou a ser o assunto dominante da Fórmula 1, nesta quarta-feira, graças a uma entrevista em que o chefe da equipe, Stefano Domenicali, afirma ver espaço para o alemão Sebastian Vettel correr ao lado do asturiano.


A entrevista, publicada no periódico alemão Sport Bild, e reproduzida parcialmente no site oficial da escuderia italiana, também tem a participação do chefe comercial da F-1, o britânico Bernie Ecclestone, que aconselha Vettel a não se transferir de imediato para a Ferrari porque ainda é muito jovem.


“Acho que são dois caras muito inteligentes e poderiam conviver facilmente”, afirmou Domenicali. Vettel já admitiu que tem o desejo de pilotar pela Ferrari no futuro e chegou-se a especular que o atual bicampeão do Mundial de F-1 tenha um pré-contrato assinado com o time, fato negado pelos dois lados.


Bernie Ecclestone também acredita que Vettel e Alonso possam conviver facilmente no mesmo time. O britânico foi chefe de equipe da Brabham, que em 1979 teve Niki Lauda e Nelson Piquet como companheiros na escuderia britânica.



“São dois pilotos procurando um novo desafio e estar na mesma equipe seria um grande desafio. Eles poderiam se ajudar e Stefano faria o necessário para tratá-los do mesmo jeito. Seria o mesmo que na Brabham, em 1979, com Niki Lauda e Nelson Piquet. Falei para eles que era simples, o mais rápido seria o primeiro piloto da equipe”, disse Ecclestone.



Apesar de crer que Vettel se daria bem ao lado de Alonso na Ferrari, o britânico acredita que este não é o momento ideal para o alemão largar a Red Bull e ir para o time italiano. “Não falaria para ele fazer isso agora, ainda é um jovem. Um piloto normalmente encerra sua carreira na Ferrari e isso ainda pode acontecer um dia”, explicou.